Seguidores

segunda-feira, 25 de julho de 2016

DIPLOMA DE MÉRITO - DISTINÇÃO NACIONAL

Sem comentários:
Obrigado Chefe Barros...

Por indicação da nossa Direção manifestando a vontade de todos os elementos do Núcleo, foi proposta a distinção nacional com o Diploma de Mérito (Regulamento Geral da Fraternidade Nuno Álvares, 1º Anexo Regulamento de Disciplina e Distinções, Parte II – Distinções e Prémios, Artigo 20º - Distinções, Alinea a) – Diploma de Mérito) ao nosso amigo e irmão escuta Chefe José Ferreira De Barros, dirigente do Agrupamento 212-S.Pedro-Vila Real do Corpo Nacional de Escutas.
Esta distinção, fundamentada e assente no apoio incondicional, no incentivo à Fundação e desenvolvimento do nosso Núcleo. Desde a primeira hora ao nosso lado, a sua amizade e exemplo têm sido para nós um pilar na construção desta ideia do Escuteiro Adulto. Ao longo dos cinco anos da nossa existência enquanto Núcleo da FNA, nunca esmoreceu na sua atitude estando Sempre Alerta Para Servir.


Assim no passado dia 19 de junho, integrado nas comemorações do nosso 5º aniversário, numa singela mas sentida cerimónia, demos seguimento e cumprimos a Ordem de Serviço Nacional nº31 de 25 de maio de 2016, entregando ao nosso Chefe Barros o merecido e justo diploma que sendo apenas um papel não consegue exprimir todo o sentimento de gratidão, respeito e principalmente a amizade de todos nós.
 


PARA SEMPRE GRATOS

CANHOTA AMIGA

sexta-feira, 22 de julho de 2016

PARQUE NATURAL DO ALVÃO

Sem comentários:
Em dia de aniversário…
Dia Aberto 2016

No passado dia 18 de junho o Parque Natural do Alvão comemorou mais um aniversário. Num Dia Aberto pautado por uma caminhada “À volta dos lameiros de montanha”, percurso com aproximadamente 7km na zona envolvente à aldeia de Lamas de Olo, entre carvalhais e lameiros, sempre com o rio Olo por perto.


 

O nosso Núcleo mais uma vez marcou presença e juntou-se aos cerca de 40 participantes que imbuídos de alegria e interesse, lá começaram a percorrer o trilho proposto.










A dado momento fomos surpreendidos com uma magnífica e significativa “prenda”. Com o apoio do Centro de Recuperação de Animais Selvagens do Hospital Veterinário da UTAD, foi promovida mais uma devolução à natureza, desta vez uma Coruja-do-mato (Strix aluco) teve uma segunda oportunidade e ganhou uma nova vida em liberdade. Este é sempre um momento de profunda alegria e emoção para qualquer um de nós que temos o privilégio de testemunhar aquele forte bater de asas determinado em agarrar uma nova oportunidade. Um bem-haja à UTAD por desenvolver este trabalho e promover estas ações.


 

A meio da manhã e na aldeia de Lamas de Olo, assistimos à apresentação do documentário “Montes de Natureza” que pretende ser um meio de divulgação do Parque Natural do Alvão, a produção deste trabalho coube ao Departamento de Comunicação e Multimédia da UTAD. Foi ainda apresentado o projeto de conservação da natureza “Salvemos os Sapos”: o que foi feito, os resultados e o que falta fazer. 
















Por fim, deixamos ao Parque Natural do Alvão uma palavra de gratidão e apreço pelo trabalho desenvolvido em prol da natureza e do ambiente e ainda uma palavra de confiança e coragem para que continue esta jornada, sendo certo que pode continuar a contar com a nossa boa vontade e voluntariado. Sempre com o intuito de deixar o mundo um pouco melhor.

BEM HAJAM


segunda-feira, 6 de junho de 2016

5º ANINUC / TRIBUTO CHEFE PEIXOTO

Sem comentários:
Que futuro podemos ter se não valorizarmos o passado?

O Chefe Peixoto foi uma pessoa muito importante na nossa formação escutista e humana, foi um companheiro e um amigo, foi um verdadeiro irmão mais velho. 
Procurando sempre orientar-nos nos trilhos da vida, pela sua maneira de ser HOMEM e pelo seu EXEMPLO. 
Recordar os seus ensinamentos, as suas palavras e principalmente a sua amizade é a melhor homenagem que lhe podemos prestar.


São estes HOMENS que deixam marcas na areia e a água não leva.



“Fazer Fraternidade". Este nosso convívio pretende reforçar os laços de amizade e encurtar distâncias.
Trocar vivências e preocupações, conversar e confraternizar, partilhar amizade são formas de "criar raízes" mais fortes na Fraternidade Nuno Álvares.

Isto é Escutismo.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Al-Gharb – Voluntariado Ambiental

Sem comentários:
Não Há Longe…de Vila Real a Olhão.


Foi no fim-de-semana de 23, 24 e 25 de abril, que a Fraternidade Nuno Álvares se reuniu uma vez mais para uma atividade de cariz ambiental no Parque Natural da Ria Formosa no sul de Portugal em Olhão. Esta ação foi dinamizada pelo Departamento Nacional de Ambiente e pelos Núcleos de Olhão e Lagoa. O Núcleo Cidade de Vila Real (NCVR) disse mais uma vez: Presente! 




Os cerca de 700 km que separavam o ponto de partida e o destino foram feitos com grande animação, pois sabíamos que no final teríamos à nossa espera irmãos escutas de todo o país, com quem iríamos desfrutar de momentos inesquecíveis. E assim foi!

Algarve, Setúbal, Lisboa, Covilhã, Braga, todos reunidos em torno de um mesmo ideal: deixar o mundo um pouco melhor do que o encontramos!

No sábado, dia 23, 1º dia de atividade, a alvorada às 7 da manhã até pareceu tardia, tanta era a vontade de pegar nas ferramentas e começar a trabalhar. Após uma apresentação do Parque Natural da Ria Formosa pela sua responsável técnica, o grupo fez um pequeno passeio guiado pelas imediações, passando pelo Centro de Recuperação de Animais selvagens (RIAS) e pelos postos de observação de aves. De seguida, o grupo dividiu-se em duas equipas: Galinha-sultana e Camaleão, assim nomeadas em homenagem a dois habitantes característicos desta zona.




A equipa Galinha-sultana ficou encarregue de fazer a limpeza de uma linha de água, cortar e desenraizar canas que, devido à sua aglomeração e quantidade, prejudicavam a livre circulação das águas causando estragos a montante. A equipa Camaleão ficou responsável pela recuperação de um túnel de voo utilizado para recuperação de aves que, após um período mais ou menos longo de internamento e confinamento, precisam de se exercitar e reaprender a voar, antes de serem libertadas. 

 


Estas tarefas duraram o dia todo, mantendo as equipas todo o ânimo inicial. No da tarde, os rostos animados faziam duvidar da dureza dos trabalhos… aplicou-se na perfeição o velho ditado: Quem corre por gosto, não cansa! E não sabíamos ainda, que seríamos brindados com um momento fabuloso, o da libertação de uma gaivota de asa escura, que nesse dia recebia alta médica, após internamento no RIAS. Foi libertada e voou, livre em direção ao sol o que emocionou todos os presentes, principalmente a Isabel, Presidente do Núcleo de Montijo, que teve a honra de a libertar. 










O dia prosseguiu com um breve passeio no centro de Olhão, a participação na Eucaristia na Igreja Matriz e ainda um jantar bastante animado, após o qual voltamos à base e descansamos para o dia seguinte.








No domingo, dia 24, fomos brindados com um sol magnífico, que fazia adivinhar um dia fantástico. Era dia de conhecer a Ria Formosa e à nossa espera tínhamos um barco que nos levou a conhecer a Ria e as suas características: os viveiros de berbigão e de  amêijoa, as barras e as ilhas(Ilha do Farol, Ilha da Culatra e Ilha de Armona). 
 

Na ilha do Farol, não resistimos à água límpida e apelativa e fomos a banhos… uma delícia! Na ilha da Culatra almoçamos uma caldeirada de peixe. Ainda tivemos tempo para dar uma volta pela ilha, que para além de restaurantes, possui ainda uma igreja, escola e dependência bancária. De seguida, navegamos para a Ilha de Armona, onde nos esperavam com muita simpatia mais amigos e familiares de escuteiros. E neste cenário magnífico, quem resistia a mais um banho? Nós não… e valeu a pena! 
Voltamos ao barco e daqui fomos novamente até Olhão e regressamos à base… Eram horas de fazer o jantar!

 
E que jantar… Só de lembrar, deixa até água na boca! Fomos presenteados com amêijoas feitas pela equipa de cozinha, que nos levou ao céu! Para acompanhar, umas ovas de peixe à moda do Algarve.

A noite estava a acabar e, sendo a última noite em campo, decidiu-se que seria a altura ideal para um momento de partilha e reflexão. E foi no moinho de maré, que juntos, partilhamos ideias, sentimentos e emoções, fortalecendo a amizade que nos une….Um momento mágico!











O último dia surgiu também magnífico, com bastante sol. Foi dia de conhecer um outro Algarve, através de um percurso pedestre: percurso de natureza pedonal denominado “ 7 Vales Suspensos” que se estende por 5,7 Km, ligando a Praia da Marinha à Praia de Vale Centeanes, em Lagoa. Foi um percurso lindíssimo, desfrutamos de uma paisagem de tirar o fôlego: arribas esculpidas pela água como elemento dominante na paisagem, praias paradisíacas, fauna e flora diversificadas. 
Depois de 3 horas de caminhada, a alma estava renovada, mas a fome apertava. 













Na Casa do Escuteiro de Lagoa, esperava-nos um opíparo repasto. Foi à sombra das árvores que partilhamos esta última refeição e fizemos a nossa avaliação, com agradecimentos de todos os participantes à organização e a todos os que contribuíram para o sucesso desta atividade. 








O balanço que fazemos é extremamente positivo. Os cerca de 700 km que ainda tínhamos que fazer para chegar aos nossos lares não eram relevantes, quando saímos de coração cheio e o sentimento de dever cumprido. 




FNA NCVR…Sempre Alerta para servir.



BOA CAÇA


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...